DARK VALLEY | “Ophelia” - Single com roupagem erudita é lançado

“Ophelia” - Single com roupagem erudita é lançado

A música “Ophelia” clama pela presença das mulheres na música, metal e erudita


Arte: Anelise De Carli

Lançado nesta quarta-feira, dia 31 de março, a versão classical crossover de “Ophelia”, da banda Dark Valley, une o metal e o erudito. Gravado em formato de canção erudita, a nova roupagem traz o dueto entre a mezzosoprano Ana Carla De Carli (vocalista) e o pianista convidado Patrick Hertzog (Cordas e Rimas). Foi produzido também um clipe ao vivo, em formato de sarau, na Casa da Música de Porto Alegre, local de referência da música clássica.


A canção “Ophelia”, baseada na personagem de Shakespeare na peça Hamlet, é uma composição de Ana Carla e Fernando Cezar Júnior (guitarrista). Na nova versão da música, que já havia sido lançada em voz & violão, o estilo de canto é voltado para o erudito, demonstrando a versatilidade da vocalista. O áudio foi gravado totalmente em casa pelos artistas, em período de isolamento social, e contou com a mixagem de Renato Osorio, que assina a produção musical do EP “Tales from Dark Valley”. A banda também disponibilizou o áudio instrumental, com o piano arranjado por Patrick Hertzog.

Ouça Ophelia Classical Crossover aqui: open.spotify.com/album/2EqAUMUSyFgYurcA2SrvZf

Fotografia: Anelise De Carli

“Ophelia” fala de uma nova chance que a personagem de Shakespeare tem para se expressar, dando força a muitas mulheres. Segundo a cantora e compositora Ana Carla, a reapresentação do single nesse formato é um alerta para a luta das mulheres artistas na música erudita. “Dark Valley realmente se propõe a dar voz e engajar mais compositoras e intérpretes na música pesada, mas essa problemática permeia também o mundo erudito. Trabalhar com o pianista Patrick Hertzog, um grande amigo que fiz na Universidade justamente na preparação de um sarau com repertório exclusivamente de compositoras, reforça a nossa mensagem”. Com longos estudos em repertório erudito e popular, Patrick é fã declarado de bandas de metal, como Dream Theater e Nightwish. Atualmente, o pianista desenvolve no trio Cordas e Rimas um trabalho autoral de nova música popular.

Sobre os artistas e o conceito das músicas

Nome emergente do metal nacional, Dark Valley é uma banda formada no ano de 2015, em Porto Alegre, com músicos atuantes na cena local do rock e metal. Segundo a vocalista, bandas como Jinjer, Lacuna Coil e Arch Enemy são algumas das influências sonoras deste seu mais recente trabalho autoral. Atualmente, para apresentações ao vivo, a banda conta também com o baterista Felipe Paedo e o baixista Rodrigo Morales. O EP de estreia, intitulado “Tales from Dark Valley”, traz oito faixas e conta com Ana Carla e Alberto Boa Vista como produtores executivos. As sessões de gravações foram realizadas com Fernando Cezar Júnior (guitarra), Jackson Harvelle (baixo) e Andrêss Fontanella (bateria). As orquestrações são assinadas por Melissa Iron. Já a produção e a mixagem ficaram a cargo de Renato Osorio e Benhur Lima, músicos de currículo internacional na cena do metal.

O EP “Tales from Dark Valley”, lançado em dezembro/20, conta a história de uma mulher que, através da sua jornada em um mundo alternativo chamado “Dark Valley”, aprenderá a valorizar o seu potencial feminino e a vida. O conceito das músicas para o disco surgiu diante da percepção do papel da mulher na sociedade, também como artista, o que tem protagonizado recentes pautas de meios jornalísticos e debates acadêmicos. Em consonância com esse espírito, os músicos se uniram para contar a história e influência de personagens femininas clássicas (Ophelia, Lilith), comumente representadas na Arte por homens.

Ouça o EP “Tales from Dark Valley”: open.spotify.com/album/61CHk3VmQAzd5eGTnghljT

Site oficial: https://www.idarkvalley.com

Facebook: https://www.facebook.com/idarkvalley

Bandcamp: https://idarkvalley.bandcamp.com

YouTube: https://www.youtube.com/idarkvalley

Instagram:https://www.instagram.com/idarkvalley

6 visualizações0 comentário